Como cuidar do estoma para quem é idoso?

Cuidar de uma estomia não é fácil, passar pela adaptação que a cirurgia de criação do estoma exige. E a idade é um fato que pode dificultar esse processo.

Os cuidados com o corpo e com a saúde, a rotina, tudo isso muda com o passar dos anos. É preciso prestar mais atenção aos sinais do organismo e tomar medidas preventivas para manter o corpo sempre em ordem.

 

Estomia em idosos

Pode ser um pouco assustador começar a usar um equipamento coletor acoplado à barriga, isso acaba influenciando na qualidade de vida, e não é diferente com o idoso, precisando aceitar as modificações em seu corpo.

Mas com o apoio da família e dos amigos, e a correta orientação, o coletor passa a ser apenas um detalhe no dia a dia. É importante que o idoso sinta-se independente, ao realizar os cuidados com a estomia sozinho, para aperfeiçoar e melhorar os cuidados com o próprio corpo, e assim, desenvolver a destreza para higienização do coletor e da estomia. Gradualmente o idoso com estomia vai adquirindo mais segurança e se acostumando com a situação.

 

Cuidados diários

É normal ter dificuldades com os cuidados da estomia nos primeiros dias, demorando um pouco para se adaptar à nova condição. Por isso, é importante que as orientações iniciem antes mesmo da cirurgia para estimular a autonomia.

 

Participar de grupos de apoio que reúnem outras pessoas com estomia também pode ajudar. Conhecer pessoas que estão passando pelas mesmas dificuldades, e até algumas que já superaram. Ouvir histórias de que podem ajudar na aceitação da estomia, e proporcionar trocas de experiências e dicas quanto aos cuidados diários.

 

Mais dicas que podem ajudar 

Apoio da família: Como já falamos, a família tem um papel muito importante na adaptação do idoso com a estomia. Muitas vezes o idoso mostra dificuldades em manipular os materiais necessários para o cuidado com a estomia. A ajuda dos familiares é importante para dar apoio psicológico, já que essa situação pode gerar dúvidas, medos e angústias, e também para auxiliar com possíveis dificuldades motoras e visuais.

 

Alimentação: É sempre melhor, para todos, manter uma alimentação equilibrada e saudável, diversificar as receitas e alimentos. O importante é fracionar a dieta, para não sobrecarregar o organismo, além de provar em pequenas quantidades, para ver como o organismo reage a cada alimento. É importante saber o que os alimentos causam, alguns produzem gases, como feijão, ovos e bebidas com gás. Enquanto alguns alimentos favorecem o amolecimento das fezes (verduras cruas, ervilhas e laranja), outros podem causar constipação (inhame, maçã e banana prata). Evite alimentos com cheiro forte, como cebola, alho e repolho. Peixe é muito saudável, mas provoca um odor forte. Por outro lado, existem alimentos que ajudam a neutralizar os odores, como é o caso de cenoura, chuchu e espinafre, iogurte natural. Após conhecer as reações do próprio organismo o idoso com estomia decide quais e quando ingerir determinados alimentos que causam algum tipo de constrangimento.

 

Banho: Não é necessário retirar o equipamento coletor para tomar banho, alguns tipos de estomia nem permitem, exemplo das urostomias e ileostomias bem funcionantes. Para casos em que retirar o coletor seja possível, saber que o sabão e a água do banho não prejudicam a estomia, mas é preciso ter cuidado com o jato forte de água diretamente no estoma, pois a pressão pode machucar e causar sangramento.

 

Sol: Se possível, exponha a pele periestoma ao sol da manhã, entre 15 e 20 minutos nos dias de troca do equipamento. Mas cuidado, é importante sempre proteger a estomia com uma gaze umedecida.

 

Odor: Dentre os produtos adjuvantes, há o desodorizador e lubrificante que pode ajudar na diminuição de odores.

 

Troca de equipamento: Saber a durabilidade do coletor é muito importante para evitar o deslocamento da placa e vazamento do conteúdo. Fazer a troca na hora do banho pode ajudar a descolar o adesivo sem machucar a pele. Utilizar água e sabonete com pH ácido (ex. Sabonetes líquidos íntimos) para limpar a pele ao redor da estomia. Aparar os pelos ao redor do estoma ajuda na fixação da placa.

 

Kit extra: Quando for sair de casa levar itens para uma troca de emergência, como equipamento coletor, tesoura, toalhas umedecidas para higiene.

Comentários